STTU 06/05/22

Tudo sobre economia, finanças, negócios e investimentos

23/05/2013 08h38

Confiança dos empresários do RN recua mas faturamento se mantém estável

O faturamento dos pequenos negócios do RN em março manteve-se estável

notícias relacionadas

O Índice de Confiança dos Pequenos Negócios (ICPN) no Rio Grande do Norte teve um recuo de quatro pontos em abril no comparativo com o mês anterior, chegando a atingir 112. Apesar da redução na confiança, o número ficou acima dos divulgados em fevereiro, quando a confiança do empresariado potiguar de pequeno porte havia obtido um patamar de apenas 107 pontos.

Os dados fazem parte de pesquisa mensal, realizada pelo Sebrae em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), e divulgados com base em informações apuradas no mês anterior. O indicador do RN ficou abaixo das médias nacional e nordestina, ambas atingiram 116 pontos, assegurados pelo bom desempenho nas vendas das empresas no mês de março.

Para chegar ao ICPN, são levadas em considerações estatísticas da combinação do Índice da Situação Atual (ISA) - que, como a denominação indica, expressa as expectativas dos empresários a partir da situação do negócio no mês vigente à pesquisa - e do Índice de Situação Esperada (ISE), que mede a expectativa de Microempreendedores Individuais (MEI), microempresários e empresário de pequeno porte para o trimestre. No caso do RN, o ISA mediu 94 pontos em abril e o ISE 129 pontos, este último reflete o otimismo dos potiguares para melhorar o desempenho dos negócios.

O faturamento dos pequenos negócios do RN em março manteve-se estável para 46% dos entrevistados, enquanto para 32% houve redução. Já 22% afirmam ter registrado aumento de receitas no mês. Em relação à quantidade de funcionários, 90% mantiveram o número de empregados, mas 6% afirmam ter reduzido os postos de trabalho e apenas 4% aberto vagas.

Mais receitas
As expectativas de faturamento entre os meses de abril e junho são melhores. 63% aguardam um aumento de receitas no trimestre. Para 28% deles, não haverá nem perdas nem ganho, a situação fica estável. Apenas 9% pensa que o fluxo de caixa deve apresentar baixas. Nesses três meses, 81% dos empresários pretendem manter o quadro de funcionários, enquanto 12% devem aumentar o número de empregados e 7% diminuir.

Esse otimismo, na visão de analistas, explica-se pela recuperação do desempenho das empresas em março, em função de fatores estruturais, o que elevou a confiança dos empresários, como a expansão do crédito e o aumento real da renda dos trabalhadores.

O Índice de Confiança dos Pequenos Negócios (ICPN) é medido em uma escala que varia de 0 a 200. Acima de 100, o indicador aponta tendência de expansão das atividades, enquanto abaixo desse valor direciona para possível retração. A pesquisa abrange amostra de 5,6 mil empreendimentos de todos os setores - Indústria, Comércio, Serviços e Construção Civil, entre microempreendedores individuais, microempresas (que faturam entre R$ 60 mil e R$ 360 mil por ano) e negócios de pequeno porte (com faturamento bruto anual entre R$ 360 mil e R$ 3,6 milhões).

 

Fonte: Agência Brasil


0 Comentário

Avenida Natal, 6600 - Rodovia Br 101 - Taborda | São José de Mipibú/RN CEP | 59.162-000 | Caixa Postal: 50
2010 ® Portal Mercado Aberto. Todos os direitos reservados.
ponto criativo