SSTU

Tudo sobre economia, finanças, negócios e investimentos

19/02/2011 03h52

Sebrae/RN premia mulheres com atuação empreendedora

Ivone Freire, do restaurante Talher, e Josefa Avelino, presidente da Acrevi, foram as vencedoras da etapa estadual.


notícias relacionadas

A sétima edição do Prêmio Sebrae Mulher de Negócio destaca a trajetória de duas empreendedoras que comprovam o talento, esforço e a eficiência do público feminino na condução de negócios bem sucedidos.

Ivone Freire é a vencedora da premiação na categoria ‘Pequenos Negócios’ pelo trabalho à frente do restaurante Talher, o primeiro a adotar o sistema self-service no Nordeste. Josefa Avelino da Silva Cunha também venceu na categoria ‘Negócios Coletivos’ devido ao exemplo de empreendedorismo como presidente da Associação Reciclando para a Vida (Acrevi), entidade mossoroense que faz reciclagem de materiais provenientes de coleta seletiva.

Ambas serão agraciadas com troféus e certificados durante a solenidade de entrega de premiação marcada para a próxima terça-feira (22), às 19 horas, no Versailles Recepções, localizado no bairro de Capim Macio, em Natal.

Importante incentivo ao empreendedorismo e à valorização da gestão de negócios no País, o Prêmio Sebrae Mulher de Negócios é uma ferramenta de estímulo ao empreendedorismo entre as mulheres e de reconhecimento às histórias e iniciativas de sucesso apresentadas a cada edição. A premiação, que acontece desde 2004, dá destaque para mulheres que relatam a trajetória dos seus negócios, de forma a servir de exemplo para outras mulheres com espírito empreendedor.

O prêmio é realizado em âmbito estadual e nacional, sendo as vencedoras contempladas com uma viagem internacional a um grande centro de empreendedorismo. Na edição de 2010 foram validadas 64 inscrições no Rio Grande do Norte. São mulheres que relataram as suas trajetórias no processo de abertura e gestão do empreendimento.

As duas vencedoras, Ivone Freire e Josefa Avelino, vão representar o Rio Grande do Norte na etapa regional, que acontece até o fim de março próximo. De cada região, serão escolhidas duas representantes para a fase nacional. As histórias deverão abordar aspectos da idealização e criação do empreendimento, processo de desenvolvimento e valores e contribuições sociais que o negócio gera na comunidade

De acordo com a coordenadora do Prêmio Sebrae Mulher de Negócios, Algéria Varela, o concurso é uma forma de educar pelo exemplo, fazendo com que as empreendedoras de todo o Brasil se espelhem na experiência de outras mulheres que obtiveram sucesso em seus negócios. “Os relatos são catalogados pelo Sebrae para que possam ser fonte de informação sobre o universo do empreendedorismo feminino no Brasil. Além disso, são produzidos vídeos com os relatos das experiências das ganhadoras, utilizados para fins educacionais”, explica a gestora.

O Prêmio Sebrae Mulher de Negócios é promovido pelo Sebrae em parceria com a Federação das Associações de Mulheres de Negócios e Profissionais (BPW Brasil), a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres e a Fundação Nacional da Qualidade - FNQ.

Mulheres dão exemplo de empreendedorismo

Em nada o requinte de um restaurante self-service em Natal tem ver com o trabalho socioambiental de uma associação que recolhe materiais recicláveis do lixo em Mossoró. A interseção entre os dois empreendimentos está no fato de ter mulheres no comando.

Ivone Freire, proprietária do restaurante Talhre, se destacou pela forma como vem administrando o tradicional self-service na capital potiguar. Descendente de franceses e filha do visionário engenheiro Roberto Freire, a empresária tem verdadeira paixão por gastronomia. Entretanto, ela soube fazer do restaurante um negócio propício à inovação. A trajetória de Ivone Freire começou ainda no final da década de 70 quando decidiu abrir a primeira churrascaria com rodízio de Natal, a Toca do Chicão.

A experiência serviu de base para a abertura do restaurante Talher há 21 anos. Antes disso, em 1985, Ivone apostou numa marmitaria como ponto comercial, algo inédito naqueles idos, oferecendo opções de quentes e congelados. As marmitarias da cidade funcionavam em residências.

Atualmente, o estabelecimento carrega o emblema de ter sido o primeiro no Nordeste a adotar o sistema de self-service, em que a comida é pesada e paga conforme o peso. Antes, o buffet era pago conforme o prato. “Sempre estive em sintonia com as novidades para implantá-las no Talher. Foi quando meu irmão, que na época morava em Brasília, falou-me que havia um restaurante lá com esse novo serviço. Então, resolvi conhecer e adotar aqui no Talher em 1990”, conta Ivone Freire.

Logo após, o modelo foi amplamente utilizado por outros estabelecimentos na cidade. Outra inovação: agora, as comidas são feitas na hora. Os pratos são feitos minutos antes da reposição do buffet.

Para minimizar o problema advindo com a proibição de estacionamento na avenida Afonso Pena, onde fica situado o Talher, Ivone encontrou uma saída para não perder clientes, já que, após as restrições de estacionamento na referida via, a rotatividade no restaurante caiu cerca de 25%. A ideia foi criar o sistema de manobristas, uma comodidade regrada a muita responsabilidade por parte da administração do restaurante. A empresária precisou supervisionar de perto o novo serviço.

“Ficava muito mais tempo fora do restaurante do que dentro para que não ocorresse nenhuma falha e os clientes se sentissem mais à vontade para entregar a chave do carro em nossas mãos. E tem funcionado devido à credibilidade e confiança que os nossos clientes depositam na gente”.

De fato. O carisma de Ivone Freire e a proximidade com os clientes são as marcas do Talher e são sinais da receptividade da casa. “Trabalho muito para que os sabores agradem, mas também para que os clientes se sintam à vontade, em casa. O mínimo que qualquer estabelecimento desse segmento precisa oferecer é comida saborosa. É o básico. No entanto, o diferencial está no atendimento”.

Com uma taxa de crescimento anual em torno de 5%, o Talher recebe por dia uma média de 300 clientes, abrindo somente para o almoço (antes, abria também para ceia). Um fluxo que gera uma receita bruta anual perto de R$ 1,2 milhão.

Na avaliação de Ivone, somente o talento para os negócios não a teria feito chegar aonde chegou. Foi preciso capacitação. Em 1999, concluiu o curso Administração com habilitação em Marketing, ingressou no MBA em Gestão Estratégica de Pessoas e participou da primeira turma do Empretec no Rio Grande do Norte.

A qualificação também é estendida aos funcionários. Cada um recebeu formação conforme a área de atuação. “É muito forte a paixão pela gastronomia, mas alio essa isso com a administração. Essas capacitações me proporcionaram uma nova visão do meu negócio e me fizeram sair da zona de conforto em que me encontrava”, relata a empresária.

A visão estratégica de Ivone não passa pela expansão do restaurante, com a abertura de outras filiais, mas fortalecer a marca Talher como referência de qualidade, personalidade, bom atendimento e gastronomia. “Não posso perder a identidade da casa”.

Presidente da Acrevi fica com prêmio na categoria Negócios Coletivos

A história de Josefa Avelino da Silva, 43, poderia ser apenas mais uma como tantas outras. Mas a visão empreendedora, e a determinação fizeram dela uma mulher diferenciada, que viu no lixo a oportunidade para dar uma guinada na vida, através da Acrevi, há 11 anos.

Acostumada com desafios, fruto das dificuldades comuns aos moradores do bairro Nova Vida, periferia de Mossoró, Josefa conta que abraçou a reciclagem como grande causa de vida, mas nunca imaginou chegar tão longe com o trabalho que tem como matéria-prima o lixo. “Estava desempregada, e comecei a juntar lixo num carro de mão, de porta em porta. As pessoas diziam que eu estava ficando doida, mas levei adiante, e hoje estou sendo reconhecida através deste prêmio dado pelo Sebrae. Estou feliz demais”, comemora.

Além de Josefa, a Acrevi beneficia diretamente outros 39 moradores da comunidade, que recolhem até 38 toneladas mensais de material reciclável, oriundos de lixo domiciliar de 20 bairros, e 35 empresas parcerias. O trabalho gera ocupação, renda, e estimula a conscientização ambiental em milhares de mossoroenses. A renda mensal da associação gira em torno de R$ 12 mil.

Para recolher o lixo domiciliar, a Acrevi conta com uma parceria da Prefeitura Municipal, que garante o transporte e motorista. Todo o material recolhido passa pelo processo de separação, e, em seguida é enviado ao destinatário, que realiza a trituração e beneficiamento do lixo. “A luta é muito grande. Temos que vender para um atravessador aqui de Mossoró, pois ainda não temos material em grande quantidade para enviar direto para as fábricas de reciclagem”, destaca.

Para a gestora estadual do Prêmio Sebrae Mulheres de Negócios, Algéria Varela, além de reconhecimento, a premiação serve de vitrine para que outras mulheres se inspirem, e também busquem resultados positivos através do empreendedorismo. “Este prêmio é muito significativo. Vai além do reconhecimento que acontece. Significa também inspiração e exemplo para outras empreendedoras”, frisa. A premiação garante troféu, certificado, e consultorias a serem realizadas pelo Sebrae.

O Prêmio Sebrae Mulheres de Negócios é realizado pelo Sebrae, em parceria com a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, BPW Brasil e Fundação Nacional da Qualidade. A premiãção é dirigida a mulheres empreendedoras com mais de 18 anos que sejam proprietárias de micro e pequenas empresas ou membros de cooperativas e associações de pequenos negócios produtivos com geração de trabalho e renda. Além da categoria Negócios coletivos, o PSMN premia também na categoria Pequenos Negócios.

Serviço

Entrega da Premiação

Data: 22-02-2011(Terça-feira)

Hora: 19 horas

Local: Versailles Recepções

Rua Coronel Milton Freire, 2919, Capim Macio, Natal-RN


0 Comentário

Avenida Natal, 6600 - Rodovia Br 101 - Taborda | São José de Mipibú/RN CEP | 59.162-000 | Caixa Postal: 50
2010 ® Portal Mercado Aberto. Todos os direitos reservados.
ponto criativo