Sesi RN - Escola

Tudo sobre economia, finanças, negócios e investimentos

13/03/2012 19h07

Da páscoa ao pão de cada dia, carga tributária onera vida dos brasileiros em qualquer época do ano

Para economista, ineficiência do Estado para usar o dinheiro arrecadado é o maior dos problemas nesse campo

Por: Marcelo Lima

notícias relacionadas

Os tributos podem representar, em média, 39% do valor dos produtos sazonais vendidos durante a páscoa.  Um ovo de chocolate de R$ 30 o quilo, por exemplo, poderia sair por R$ 18,30, caso não houvesse a incidência de tributos sobre ele.  A colomba pascal também pesaria 39% menos, liberada dos tributos.

Outro prato próprio da data, o bacalhau, poderia ficar com o preço 44% mais barato, sem impostos. No almoço do domingo de páscoa, o pescado pode ser preparado com queijo, que têm 17% de impostos no seu valor total. Muitas vezes, o acompanhamento leva batatas e os seus 11% de impostos no preço final.

Para não se entalar, há quem opte por um refrigerante. Para não ter indigestão, deve-se informar da composição do preço do produto antes da refeição: 45% é só de imposto. Esses dados são da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

Mas em todos os períodos do ano, os alimentos do nosso cotidiano têm seus preços compostos de tributação “abusiva”, classifica o professor de Economia da UFRN, Zivanilson Silva.

De acordo com economista, o preço dos alimentos como feijão e carne é composto, em média, de 18% de tributos. Porém, os alimentos utilizados no café da manhã tem tributação mais alta. Ainda segundo ele, farinha de mandioca, pão, sal e até água (30% do valor total) têm tributos muito elevados para produtos essenciais.

Para o professor, a carga tributária “amordaça” as empresas nacionais, dificulta a competição com estrangeiras e ainda contribui para aumentar o índice de mortalidades das empresas nos anos iniciais de existência.

Na visão do professor, se o retorno dos tributos fossem mais perceptíveis, a interpretação do peso dos tributos seria outro. “O grande problema não é a alta arrecadação, mas o uso que se faz dela”, destacou o economista, lembrando-se da ineficiência do governo na hora de utilizar o dinheiro conquistado por meio de impostos.  Zivanilson também ressaltou a importância de uma reforma tributária no país.


0 Comentário

Avenida Natal, 6600 - Rodovia Br 101 - Taborda | São José de Mipibú/RN CEP | 59.162-000 | Caixa Postal: 50
2010 ® Portal Mercado Aberto. Todos os direitos reservados.
ponto criativo