Sesi RN - Escola

Tudo sobre economia, finanças, negócios e investimentos

19/03/2011 08h00 - Atualizado em 18/03/2011 17h22

Alta nos preços leva consumidor a optar por ovos de chocolate caseiros

Nos supermercados, preços dos produtos têm aumento de cerca de 7,5% este ano.

Por: Lidiane Lins

Todos os anos, o mês de março é marcado pelo colorido dos ovos da Páscoa enfeitando os supermercados de todo o Brasil, e pelo crescimento das vendas desses produtos e demais derivados de cacau durante os quarenta dias que seguem o carnaval.

Quase todo mundo compra ovos da Páscoa, mas os preços praticados nas grandes redes estão ficando cada vez mais salgados. Este ano, o aumento deve ficar em torno dos 7,5%, de acordo com a Associação Brasileira das Indústrias de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados (Abicab).

Para fugir do prejuízo, sem abrir mão da tradição, muita gente tem optado pelos ovos caseiros, que são consideravelmente mais baratos que os das grandes marcas disponíveis no mercado, e ainda podem ser personalizados.

A empresária Amanda de Souza está entre os consumidores que optaram por comprar ovos da Páscoa do tipo caseiro. Ela tem três sobrinhos e revelou que estava saindo muito caro presentear cada um com um ovo de chocolate comprado no supermercado.

"Se eu continuasse a comprar nos supermercados, ficaria difícil presentear todos eles, principalmente com aqueles com temas de personagens infantis, que as crianças tanto gostam. Prefiro comprar a uma amiga minha, que faz uns ovos deliciosos e com preços acessíveis", disse Amanda.

Em busca de uma atividade que ocupasse seu tempo e ainda lhe rendesse um dinheiro extra no orçamento, há três anos a dona de casa Valéria Rocha resolveu investir em um curso de culinária e se especializou na produção de doces e sobremesas em chocolate.

O que começou com um passatempo, logo se tornou um negócio rentável. Valéria conta que produz trufas e cestas de bombons ao longo de todo o ano, mas a maior demanda acontece mesmo no período da Páscoa.

"Ovo de Páscoa vende muito nesse período. Todo mundo procura, e a gente acaba vendendo mais. Essa época é como se fosse o natal, as pessoas têm a expectativa de comprar presentes. Mesmo que não possam comprar algo muito caro, mas ovo de chocolate é um símbolo, sempre tem alguém pra dar de presente", disse.

Segundo ela, a compra de materiais para produzir os ovos da Páscoa já começa logo após o período natalino. "Para quem vende bombons, o mundo gira em torno de abril. Quando acaba o natal, já começam os preparativos e em fevereiro, já está todo mundo pronto", destacou.

Mas, até mesmo os ovos caseiros deverão sofrer reajuste este ano, devido ao aumento do preço do cacau e do açúcar, que estão supervalorizados no mercado internacional. Os produtores afirmaram que a cotação do cacau está no maior nível desde 1979. Já o açúcar, está em média 20% mais caro que o ano passado. "O ovo de 500g que eu vendia por R$ 22, este ano terei que vender por R$ 25, por causa do aumento no preço da material", afirmou Valéria.

Vendas no varejo
Apesar da alta de preço, a indústria formal de ovos de chocolate continua com boas expectativas de crescimento para Páscoa este ano. A Abicab prevê vendas recorde de 25 milhões de quilos de ovos de páscoa, apostando no aumento da renda da população e no ingresso de milhões de pessoas no mercado de consumo.

Em Natal, as redes de supermercados se preparam para um incremento nas vendas de ovos de chocolate este ano, com ampliação dos estoques e na variedade de produtos relacionados à Páscoa. O supermercado Nordestão investiu no crescimento de 15% do seu mix de produtos oferecidos neste ano.

Com isso, a rede espera alcançar um aumento de mais 15% nas vendas na comparação com o mesmo período do ano passado. A assessoria de imprensa do grupo informou que, até o momento, a procura pelo produto nessas primeiras semanas já correspondem a 20% das vendas de todo o período.

Para driblar a alta de preços dos produtos relacionados à Páscoa, a maior associação de supermercados do estado, a Redemais, aposta em marcas ainda desconhecidas e com preços mais em conta.

"Teremos chocolates para todos os bolsos. Além das grandes marcas, que têm um valor agregado maior, estamos apostando em duas fabricantes menos conhecidas e com preços mais em conta. São produtos de excelente qualidade e mais acessíveis à população", disse Ricardo sobral, Diretor Executivo da Redemais.

A medida somada a localização estratégica dos produtos pascoais deve ajudar a manter a expectativa de crescimento. Neste ano, a páscoa deve vender 10% que o mesmo período do ano passado. Outro fator importante para o aumento nas vendas é a ascensão da classe C. "Com o consumidor ganhando mais, ele tem a oportunidade de comprar produtos antes vistos como supérfluos", concluiu Sobral.


0 Comentário

Avenida Natal, 6600 - Rodovia Br 101 - Taborda | São José de Mipibú/RN CEP | 59.162-000 | Caixa Postal: 50
2010 ® Portal Mercado Aberto. Todos os direitos reservados.
ponto criativo