Seturn - 16/11

Tudo sobre economia, finanças, negócios e investimentos

26/02/2015 09h34

Arrecadação de tributos federais soma R$ 125 bilhões em janeiro, informa Receita

Valor representa alta de 7,84% ante mês de dezembro. Arrecadação ainda não reflete medidas para melhorar resultado fiscal, o que só deve acontecer em fevereiro

notícias relacionadas

A arrecadação de tributos e contribuições federais somou R$ 125,282 bilhões em janeiro, registrando uma alta de 7,84% na comparação com o mês anterior, de dezembro de 2014. Os dados foram apresentados nesta quarta-feira (25), pela Secretaria da Receita Federal.

O chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal, Claudemir Rodrigues Malaquias, destacou que a arrecadação de janeiro ainda não representa as medidas do governo para melhorar o resultado fiscal, como o aumento de impostos. As medidas entraram em vigor no fim de janeiro e, por isso, o impacto só poderá ser observado em fevereiro, disse.

As desonerações voltaram a representar um desconto considerável na arrecadação, totalizando R$ 10, 278 bilhões, o que representa R$ 2,097 bilhões a mais que em janeiro de 2014, quando somaram R$ 8,181 bilhões, ou seja, uma alta de 25,63%.

Com isso, entre outros fatores, a arrecadação de janeiro apresentou uma queda real de 5,44% em relação ao mesmo mês de 2014. Conforme levantamento da Receita Federal, caso as novas reduções de tributos não tivessem entrado em vigor no ano passado, a União teria arrecadado 0,26% a mais que em 2013, descontada a inflação oficial pelo IPCA.

O recuo reflete também o baixo desempenho da atividade econômica, como a queda de 2,70% na produção industrial e de 2,20% na venda de bens e serviços. Esses resultados impactaram a arrecadação de tributos em janeiro, tanto em relação àqueles que incidem sobre o consumo de bens e serviços – tipo Cofins e PIS – quanto nos impostos que dependem dos lucros das empresas, como o Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) das empresas.

Comparativamente, os tributos com maior participação na arrecadação e que refletem a situação do setor produtivo, como o IRPJ e a CSLL, tiveram queda no mês passado de 12,16%. No caso da Cofins/PIS-Pasep, importante para refletir também a tendência no setor, a queda chegou a 4,07%. A perda atingiu R$ 5,4 bilhões na arrecadação com esses tributos.

“Verificamos na arrecadação um comportamento produzido diretamente pela atividade econômica. Não conseguimos estabelecer ainda um grau de relação, mas sabemos que o arrefecimento da economia refletiu na arrecadação desses dois últimos anos”, avaliou o chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal, Claudemir Rodrigues Malaquias.

Fonte: Portal Brasil com informações do Portal Brasil e da Receita Federal


0 Comentário

Avenida Natal, 6600 - Rodovia Br 101 - Taborda | São José de Mipibú/RN CEP | 59.162-000 | Caixa Postal: 50
2010 ® Portal Mercado Aberto. Todos os direitos reservados.
ponto criativo