STTU 06/05/22

Tudo sobre economia, finanças, negócios e investimentos

30/07/2015 09h05

Diretor do BC que antecipou voto não participa de reunião do Copom

Em comunicado, Tony Volpon informou que a decisão ocorreu para preservar a credibilidade da autoridade monetária.

notícias relacionadas

Em meio a críticas por ter antecipado o voto pela elevação da taxa básica de juros, o diretor de Assuntos Internacionais do Banco Central (BC), Tony Volpon, absteve-se de participar da reunião desta quarta-feira (29) do Comitê de Política Monetária (Copom). Em comunicado, ele informou que a decisão ocorreu para preservar a credibilidade da autoridade monetária.

“A fim de evitar possíveis prejuízos à imagem do Banco Central do Brasil, essa decisão é em caráter pessoal e irretratável”, destacou o BC em declaração atribuída a Volpon. De acordo com o texto, o diretor havia prestado esclarecimentos ao presidente do BC, Alexandre Tombini, e aos demais diretores da instituição em reunião extraordinária ocorrida terça-feira (28).

Em palestra a um grupo de investidores na semana passada publicada pelo jornal Valor Econômico, Volpon tinha dito que continuaria a votar pela elevação da taxa Selic até que a inflação desse sinais de que cederia e convergiria para o centro da meta no próximo ano. Entendidas como uma antecipação do voto, as declarações provocaram críticas de senadores.

Em entrevista à Agência Estado, o líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira (CE), defendeu que Volpon fosse ouvido pela Comissão de Assuntos Econômicos da Casa, alegando vazamento de informações. O senador José Serra (PSDB-SP) pediu a intervenção do Congresso no Copom em artigo publicado na terça-feira (28) na Folha de S.Paulo. Para o parlamentar tucano, as declarações de Volpon feriram a independência do Banco Central e trouxe a imprensa para a sala de reuniões do Copom.

Segundo o BC, os membros do Copom compreenderam a decisão de Volpon de não participar da reunião do órgão, que decidiu, por unanimidade, aumentar a taxa Selic - juros básicos da economia - para 14,25% ao ano, no maior nível desde outubro de 2006.

De acordo com a ata da reunião extraordinária, fornecida pelo BC, Volpon alegou que a manifestação de sua opinião não implicou antecipação de voto por estar condicionado às projeções sobre a inflação futura e resume posições expostas em reuniões anteriores do Copom.

 

Fonte: Agência Brasil


0 Comentário

Avenida Natal, 6600 - Rodovia Br 101 - Taborda | São José de Mipibú/RN CEP | 59.162-000 | Caixa Postal: 50
2010 ® Portal Mercado Aberto. Todos os direitos reservados.
ponto criativo