Sesi RN - Escola

Tudo sobre economia, finanças, negócios e investimentos

08/07/2015 08h56

Consultoria dá novos rumos a indústrias moveleiras potiguares

Após intervenções propostas pelo Sebrae, duas empresas melhoraram o processo produtivo e aumentaram as vendas.Uma passou a exportar e outra ampliou em 40% o faturamento mensal.

notícias relacionadas

Até 2014, o mercado internacional nem passava pelos planos do empresário Hugo Batista, até começar a enviar os móveis confeccionados na marcenaria, instalado no bairro de Candelária, em Natal, para países, como Estados Unidos e Itália. O feito foi alcançado após consultoria oferecida pelo Sebrae no Rio Grande do Norte, para mapeamento e melhoria de processos. Além de chegar ao exterior, a Arbol Móveis obteve outras conquistas na área produtiva. A empresa implantou um programa de aproveitamento total dos restos de madeira utilizados na fábrica, como chapas que podem ganhar revestimentos em qualquer cor.

O recurso tem evitado o desperdício, diminuindo o impacto no meio ambiente, já que também a fábrica utiliza madeiras reflorestadas do tipo teca, eucalipto, pinos e chapas de MDF. Utilizando madeiras de reflorestamento, a fábrica também reaproveita madeira de sua produção, além de construir peças pontuais com madeira de demolição.

A consultoria faz parte do programa Sebraetec e é oferecida a empresas atendidas pelo Projeto Desenvolvimento da Indústria nas Regiões da Grande Natal, do Agreste e do Alto Oeste Potiguar, mantido pelo Sebrae no Rio Grande do Norte. A iniciativa leva ao segmento de móveis consultorias tecnológicas com foco na melhoria do processo produtivo, redução de desperdício, aumento da eficiência energética, diminuição de custos na produção e desenvolvimento de linha de móveis focada no designer inovador. A proposta é tornar as empresas do segmento de madeira e móveis mais competitivas.

Além da marcenaria, Hugo Batista mantém showroom para expor e vender as peças no Shopping Via Direta. Com essa intervenção do Sebrae, a fábrica  melhorou 100% de aspectos como produtividade, design, qualidade, inovação e sustentabilidade. Após as consultorias, o negócio manteve o faturamento mensal de R$ 300 mil, aumentou a carteira de clientes, mudou a percepção de mercado e as possibilidades de atuação da empresa, que agora planeja entrar no mercado on-line.  

Prestes a lançar a nova marca na internet ainda neste mês, as vendas online devem ampliar o mercado para além do Rio Grande do Norte e chegar com efetividade aos estados da Paraíba, Pernambuco e Ceará. “A consultoria mostrou muitas possibilidades de trabalho. Abriu minha mente, porque passei a refletir e mudar naquilo eu estava falhando, que era na gestão”, diz o empreendedor.

 

No interior

As consultorias também chegaram a empresas situadas em cidades do interior e levaram novas noções para quem atua no setor moveleiro. É o caso da marcenaria São Lázaro, que fica em Caicó, a 256 quilômetros da capital. A empresa recebeu a consultoria em mapeamento e melhoria de processos no final de 2014.  Antes, os sócios Fabiano Dantas e Alberto Lopes tinham uma meta de produção na qual só acreditavam atingir ao ampliar o espaço físico da marcenaria, a mão de obra e a compra de máquinas.

A consultoria, porém, mostrou que havia outra saída. Em vez de investir o dinheiro nesses três planos, a solução seria comprar madeiras em quantidade por um preço mais em conta, já que o pedido da madeira demora a chegar, e muitas vezes os empresários ficam com a produção ociosa por falta de matéria prima. Paralelo a isso, o processo produtivo da empresa foi reorganizado, tornando-o mais eficiente. Após essa ideia, o negócio conseguiu atingir sua meta utilizando os mesmos recursos físicos e ainda triplicou a produção. Para se ter uma noção, depois das consultorias, a microempresa teve um saldo positivo no faturamento em 40%.

 

Carteira de clientes

Atualmente, os donos do negócio vêm conquistando clientes de Natal, Mossoró e Paraíba. “Com a consultoria, aprendemos que temos que lidar com a gestão do negócio. Foi aí que apelamos para novas máquinas aumentando a nossa produção, com a máquina plaina quatro faces. Ela corta a madeira em três horas e depois ficamos disponíveis para realizar o restante do processo até o produto final”, destaca Alberto Lopes.

A marcenaria que trabalhava apenas com a fabricação de esquadrias (portas, janelas, caixas de portas e alisar), agora está em fase de aprimoramento de uma nova linha de produtos. É através da fabricação de forro de madeira e deck para piscinas que os sócios pretendem aquecer ainda mais as vendas para faturar mais. “Ainda temos muito o que caminhar, mas considero o nosso negócio de superação porque saímos do nada. A gente acredita que o Sebrae têm as melhores ferramentas para nos ajudar. E se aqui na marcenaria temos  alguma dificuldade, a gente busca o Sebrae. Não tem outro jeito”, brinca Alberto.

O especialista em projeto e desenvolvimento de móveis pela Ecole Quebecoise du Meuble et Bois Ouvre (Canadá), Nazir Nemmen, é responsável pelas consultorias desenvolvidas pelo Sebrae-RN  tanto com a Arbol Móveis quanto com a São Lázaro. De acordo com o consultor, a iniciativa tem um papel fundamental para a gestão do negócio e que a ausência de organização é o grande problema percebido nas marcenarias potiguares.

 “A falta de uma gestão eficaz faz com que o trabalho nas empresas emperre. Com isso, elas acabam não tendo um futuro promissor. É importante que os donos de marcenarias enxuguem os custos de produção, reduzam o desperdício e tenham como o diferencial a inovação dos produtos, agregando valor a eles. Com isso, é possível ter uma empresa eficiente e competitiva”, avalia o especialista, que, ao longo do mês de julho, vai está ministrando consultorias em empresas que precisem de melhorias tanto na gestão quanto na produção.

 

Fonte: Agência Sebrae RN


0 Comentário

Avenida Natal, 6600 - Rodovia Br 101 - Taborda | São José de Mipibú/RN CEP | 59.162-000 | Caixa Postal: 50
2010 ® Portal Mercado Aberto. Todos os direitos reservados.
ponto criativo