SELECT depoimentos.*,usuarios.nome as 'autor', usuarios.email as 'email', usuarios.funcao as 'autorfuncao' FROM depoimentos INNER JOIN usuarios ON (depoimentos.idusuario = usuarios.idusuario) WHERE (depoimentos.ativo > 0) AND (DATE(depoimentos.datacadastro) >= '2014-04-01') AND (DATE(depoimentos.datacadastro) <= '2014-04-30') AND (depoimentos.idusuario = 37) ORDER BY depoimentos.datacadastro DESC LIMIT 0,5 Portal Mercado Aberto
Censo - maio

Tudo sobre economia, finanças, negócios e investimentos

Tentativas de fraude contra o consumidor crescem 1,6% em março, de acordo com indicador da Serasa Experian

24/04/2014 08h45

Março registrou 155.399 tentativas de fraude conhecida como roubo de identidade, em que dados pessoais são usados por criminosos para firmar negócios sob falsidade ideológica ou mesmo obter crédito com a intenção de não honrar os pagamentos, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraudes – Consumidor. Isso representa uma tentativa de fraude a cada 17,2 segundos no país. Em relação a fevereiro de 2014, houve alta de 1,6%. O indicador também registrou alta de 2,4% na comparação trimestral (janeiro a março de 2014 contra o mesmo período de 2013). Já em relação a março de 2013, houve queda de 4,5%.

Telefonia respondeu por 59.255 registros, totalizando 38,1% do total de tentativas de fraude realizadas em março de 2014, queda em relação aos 38,7% registrados pelo setor no mesmo mês de 2013. Já o setor de serviços – que inclui construtoras, imobiliárias, seguradoras e serviços em geral (salões de beleza, pacotes turísticos etc.) – teve 49.768 registros, equivalente a 32,0% do total. No mesmo período no ano passado, este era o setor respondeu por 32,7% das ocorrências.

O setor bancário é o terceiro do ranking de registros em março de 2014, com 30.829 tentativas, 19,8% do total. No mesmo período de 2013, o setor respondeu por 18,9% dos casos.

O segmento varejo teve 12.883 mil tentativas de fraude, registrando 8,3% das investidas contra o consumidor em março de 2014, alta em relação aos 8,1% observados em março de 2013. O ranking de tentativas de fraude de março de 2014 é composto ainda por demais segmentos (1,7%).

Principais tentativas de golpe
É comum que as pessoas forneçam seus dados pessoais em cadastros na Internet sem verificar a idoneidade e a segurança dos sites. Além disso, os golpistas ainda costumam comprar telefone para ter um endereço e comprovar residência, por meio de correspondência, e, assim, abrir contas em bancos para pegar talões de cheque, pedir cartões de crédito e fazer empréstimos bancários em nome de outras pessoas.

Entre as principais tentativas de golpe apontadas pelo indicador da Serasa Experian estão:

1 - Emissão de cartões de crédito: o golpista solicita um cartão de crédito usando uma identificação falsa ou roubada, deixando a “conta” para a vítima e o prejuízo para o emissor do cartão.
2 - Financiamento de eletrônicos (Varejo) – o golpista compra um bem eletrônico (TV, aparelho de som, celular etc.) usando uma identificação falsa ou roubada, deixando a conta para a vítima.
3 - Compra de celulares com documentos falsos ou roubados.
4 - Abertura de conta: golpista abre conta em um banco usando uma identificação falsa ou roubada, deixando a “conta” para a vítima. Neste caso, toda a “cadeia” de produtos oferecidos (cartões, cheques, empréstimos pré-aprovados) potencializa possível prejuízo às vítimas, aos bancos e ao comércio.
5 - Compra de automóveis: golpista compra o automóvel usando uma identificação falsa ou roubada, deixando a “conta” para a vítima.
6 - Abertura de empresas: dados roubados também podem ser usados na abertura de empresas, que serviriam de ‘fachada’ para a aplicação de golpes no mercado.

A Serasa Experian responde diariamente a 6 milhões de consultas, auxiliando 500 mil empresas de diversos portes e segmentos a tomar a melhor decisão em qualquer etapa de negócio, desde a prospecção até a recuperação.

Precaução
A pesquisa revela a importância de o consumidor adotar cuidados simples em seu dia a dia, como:
- Não fornecer dados pessoais para pessoas estranhas;
- Não fornecer ou confirmar suas informações pessoais ou número de documentos pelo por telefone, tomando cuidado com promoções ou pesquisas;
- Não perder de vista seus documentos de identificação quando solicitados para protocolos de ingresso em determinados ambientes ou quaisquer negócios; do mesmo modo, não deixar que atendentes de lojas e outros estabelecimentos levem seus cartões bancários para longe de sua presença sob a desculpa de efetuar o pagamento.
- Tomar cuidado ao digitar a senha do cartão de débito/crédito na hora de realizar pagamentos, principalmente na presença de desconhecidos.
- Não informar os números dos seus documentos quando preencher cupons para participar de sorteios ou promoções de lojas;
- Não fazer cadastros em sites que não sejam de confiança; cuidado com sites que anunciam oferta de emprego ou promoções. Fique atento às dicas de segurança da página, por exemplo, como a presença do cadeado de segurança;
- Cuidado com dados pessoais nas redes sociais que podem ajudar os golpistas a se passar por você, usando informações pessoais, como por exemplo, signo, modelo de carro, time por que torce, nome do cachorro etc.;
- Manter atualizado o antivírus do seu computador, diminuindo os riscos de ter seus dados pessoais roubados por arquivos espiões;
- Evitar realizar qualquer tipo de transação financeira utilizando computadores portáteis conectados em redes públicas de Internet.

Quando for vítima de roubo, perda ou extravio de documentos, a primeira medida é cadastrar a ocorrência gratuitamente na base de dados da Serasa Experian, no link www.serasaconsumidor.com.br. Esta informação estará disponível na mesma hora para o mercado. Depois, o consumidor deve fazer um boletim de ocorrência. Assim, a cada consulta, o concedente de crédito será alertado de que se trata de documentos roubados, evitando que transações sejam realizadas.

O consumidor pode, ainda, consultar gratuitamente o seu CPF em uma das agências da Serasa Experian em todo o país. Os endereços estão no site www.serasaconsumidor.com.br.

Metodologia do Indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraude- Consumidor
O Indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraude – Consumidor é resultado do cruzamento de dois conjuntos de informações das bases de dados da Serasa Experian: 1) total de consultas de CPFs efetuado mensalmente na Serasa Experian; 2) estimativa do risco de fraude, obtida através da aplicação dos modelos probabilísticos de detecção de fraudes desenvolvidos pela Serasa Experian, baseados em dados brasileiros e tecnologia Experian global já consolidada em outros países. O Indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraudes – Consumidor é constituído pela multiplicação da quantidade de CPFs consultados (item 1) pela probabilidade de fraude (item 2).

*Fonte: Serasa Experian


Entidades de Defesa do Consumidor enviam carta à Presidente da República pedindo veto ao artigo que fixa limitações à aplicação de sanções pela ANS

22/04/2014 07h43

Para o Idec, o artigo prejudica o consumidor e está em desacordo com o Código que o defende e a Política Nacional das Relações de Consumo

Na última quinta-feira (17/04), entidades de Defesa do Consumidor, entre elas o Idec, enviaram carta à Presidente Dilma, pedindo o veto ao artigo que a Câmara dos Deputados aprovou no texto da Medida Provisória 627, que limita o poder de aplicação de multas pela ANS – Agência Nacional de Saúde Suplementar às operadoras de planos de saúde que infringirem as normas aplicáveis a sua atuação.
 
A medida, tomada sem qualquer discussão do tema junto à população e junto ao Sistema Nacional de Defesa do Consumidor, representa um claro retrocesso para a proteção dos consumidores, em todo o país, pois, na prática, estabelece um evidente estímulo às operadoras para que desrespeitem as normas às quais devem se submeter, dada a fragilidade das sanções que a elas poderão ser aplicadas, em cada violação que cometerem aos direitos dos consumidores.
 
Clicando aqui, você tem acesso à íntegra da carta enviada à presidente, assinada em parceira pelas organizações: Fundação PROCON-SP, o CAO Cível do Ministério Público do Estado de São Paulo, a PROCONS BRASIL, o IDEC, a PROTESTE e a ABRASCO.
 
Em mobilização conjunta, as organizações reforçam que esse artigo deva ser totalmente eliminado da norma e pedem a todos os consumidores que compartilhem a imagem da campanha no Facebook.

*Fonte: IDEC


Operadora de telefonia móvel é condenada por cobrança indevida e danos morais

15/04/2014 11h55

A operadora de telefonia móvel TIM foi condenada pela Justiça a pagar uma indenização por danos morais no valor de R$ 2.000,00 (dois mil reais), acrescido de juros de 1% ao mês a partir da data em que foi registrada a cobrança indevida. A parte autora do processo procurou o Poder Judiciário quando foi surpreendida como inadimplente no SERASA em virtude de débito contraído junto à ré.

Segundo consta nos autos do processo, relatados pela juíza Divone Maria Pinheiro, da 17ª Vara Cível da comarca de Natal, a autora alega que, ao tentar fazer compras no comércio local constatou que devia três faturas à TIM, nos valores de R$ 27,00, R$789,83 e 2.087,76, todas vencidas e não adimplidas. Contudo, segundo a autora, ela não possuía nenhuma relação de consumo junto a empresa demandada e afirmou desconhecer o débito negativado.

Ficou comprovado, na defesa, que os débitos não existiam e que foram computados indevidamente pela parte ré. Além da condenação por danos morais e cobrança de débito inexistente, a TIM ficou incumbida de arcar com as custas processuais e honorários advocatícios.

*Fonte: TJRN


Toyota convoca campanha de recall de três modelos

14/04/2014 11h15

O Ministério da Justiça, por meio da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), informa que a Toyota do Brasil LTDA protocolou, na última sexta-feira (11), uma campanha de chamamento para inspeção e, caso haja necessidade, substituição do conjunto do cabo espiral que compõe o sistema de airbag dos modelos Hilux, Hilux SW 4 e RAV4.

Ao todo, 94.992 automóveis da marca podem apresentar defeito no airbag durante o uso, caso haja a necessidade de serem acionados em um acidente. Os modelos Hilux e Hilux SW 4 que integram o recall, foram fabricados entre 3 de junho de 2005 e 30 de janeiro de 2010. Já os donos dos carros modelo RAV4, fabricados entre 2 de agosto de 2005 e 24 de março de 2010, também precisarão comparecer a uma das autorizadas da Toyota em todo  Brasil, para que seja feita a inspeção em seus veículos.

De acordo com a montadora, os veículos que podem apresentar defeitos têm numeração de chassi não sequencial, os quais compreendem os intervalos 8AJFZ29G066005277 à 8AJEX32GXA4030211 para os veículos Toyota Hilux e Hilux SW 4 e JTMBD31V665000010 à JTMBD31V8A5252947 para os veículos Toyota RAV4.

Ainda segundo a Toyota, o recall será feito em duas etapas, sendo que a primeira, que é a substituição do conjunto do cabo da espiral, o qual pode se romper acontecerá imediatamente. Já a segunda etapa será realizada a partir de 1º de julho de 2014. Nesta última, a montadora fará a inspeção e, se necessário, substituirá o conjunto em todos os veículos envolvidos no chamamento.

Quanto aos riscos à saúde e à segurança, a empresa destacou que “como implicação da não deflagração do airbag há o aumento do risco de ferimentos graves na região torácica e facial e, em casos extremos, lesões fatais ao motorista do veículo”.

Em relação a defeitos decorrentes da fabricação de algum produto, o Código de Defesa do Consumidor (CDC) determina que o fabricante conserte ou troque o produto defeituoso a qualquer momento e de forma gratuita.

Caso o cliente encontre dificuldade para realizar o procedimento, a recomendação é procurar um dos órgãos de proteção e defesa do consumidor.

No entanto, a Toyota disponibilizou o número 0800 703 02 06 para que os clientes da marca possam entrar em contato a empresa. Os clientes podem ainda  acessar o site da empresa e obter maiores informações.

Os detalhes sobre a campanha de chamamento também estão disponíveis no site do Ministério da Justiça.

*Fonte: Portal Brasil


Consumidor deve organizar o orçamento e renegociar dívidas para não descontrolar as finanças nos próximos meses, orienta Serasa Experian

09/04/2014 11h12

Segundo trimestre do ano está recheado de feriados prolongados, datas comemorativas, além de férias escolares e Copa do Mundo; No ar desde ontem (07), o Feirão Limpa Nome Online da Serasa Experian oferece descontos e parcelamentos especiais para o cidadão limpar o nome

O primeiro trimestre do ano é marcado por uma série de despesas, como IPVA, IPTU, matrícula e material escolar, cartão de crédito com gastos das férias e muito mais. Alguns consumidores atravessaram esse período crítico no aperto porque deixaram de se planejar financeiramente ao longo do ano anterior. Por isso, agora é a hora de organizar o orçamento e, se for o caso, renegociar as dívidas atrasadas para não enfrentar dificuldades nos próximos meses, considerando que apenas o segundo trimestre do ano contempla feriados prolongados, datas comemorativas que possuem forte apelo ao consumo (Páscoa, Dia das Mães e Dia dos Namorados) e o início das férias escolares, que em várias escolas foi antecipado para junho devido aos jogos da Copa do Mundo no Brasil.

O consumidor que está inadimplente pode aproveitar a oportunidade para renegociar suas dívidas no Feirão Limpa Nome Online da Serasa Experian. A segunda edição do feirão, que começou à 0h de ontem e terminará no dia 17 de abril, funciona 24 horas por dia e permite que consumidores de todo o país renegociem suas pendências financeiras diretamente com as empresas credoras, sem sair de casa. Para acessar o serviço, basta entrar no site – www.serasaconsumidor.com.br/feirao-limpa-nome-online – e preencher um simples cadastro. Após isso, o cidadão será levado para uma página onde estarão relacionados os nomes das grandes empresas que estão participando do feirão. São elas: Anhanguera Educacional, Autotrac, Banco BMG, Banco Cifra, Banco Itaucard, Banco Mercantil, Banco Pan, Banco Bradesco, Bradesco Cartões, Bradescard, Cartões American Express, Bradesco Financiamentos, Cartão Marisa, Casas Bahia, Cepisa, Cifra Crédito Financiamento, CPFL, Credsystem, EDP Escelsa, Financeira Itau CBD, Hipercard, HSBC, Itaú, Itaú Unibanco Financeira, Itaucred, Losango, Luizacred, Omni Financeira, Pernambucanas, Ponto Frio, Porto Seguro Cartões, Recovery, Santander, Santander Financiamentos, Supermaia e Tim Celular.

Ao escolher e clicar no nome da empresa, aparecerá uma página apresentando as dívidas que o consumidor possui em aberto na base de dados da Serasa Experian e os canais de atendimento disponíveis (telefones, e-mail, chat). A partir daí, o cidadão pode entrar em contato diretamente com as empresas para negociar possíveis descontos na dívida, com condições de pagamento diferenciadas – em alguns casos, é possível até mesmo que o boleto já esteja disponível, a partir de uma proposta feita pela própria empresa.

Segundo os economistas da Serasa Experian, um dos motivos que leva ao descontrole financeiro é gastar além da capacidade de pagamento. Por isso, é fundamental se planejar, colocando todas as contas na ponta do lápis, até mesmo o cafezinho do dia a dia. Também é importante envolver toda a família na definição das prioridades do ano, inclusive ser transparente quando for necessário o corte de gastos.

O consumidor precisa ter atenção na hora de comprar a prazo para não acumular vários parcelamentos. De acordo com os economistas, o consumidor deve avaliar se as novas parcelas assumidas podem ser suportadas pela sua renda mensal, que já contempla o pagamento de despesas correntes e essenciais, como alimentação, água, luz, telefone, escola, remédio, prestações, financiamentos, reserva para o fundo emergencial, entre outras.

Guia de orientação ao cidadão
No mês passado, a Serasa Experian lançou um serviço online gratuito de orientação ao cidadão. O objetivo da ferramenta é ajudar o consumidor a encarar de maneira mais saudável suas finanças, não cair em armadilhas e não ser um reincidente na inadimplência. O serviço explica ao cidadão o que é inadimplência, orienta como ele pode se prevenir, sair do vermelho e evitar fraudes. Além disso, inclui testes para saber se ele é ou não um comprador compulsivo e qual é o seu nível de educação financeira. É um manual de orientação financeira que, entre outras coisas, vai ensinar o cidadão como solicitar empréstimos, como negociar dívidas, o que é um orçamento, como controlar contas, como poupar e como ensinar a família a se relacionar com o dinheiro. O serviço também traz calculadora e planilha de orçamento. Para acessar o guia completo, entre no link: http://serasaconsumidor.com.br/guia-orientacao

*Fonte: Serasa Experian


Anterior1|2Próxima

Av. Senador Salgado Filho, 2190 - Ed. Portugal Center - 207/209 - Fone: (84) 3206-9578
2010 ® Portal Mercado Aberto. Todos os direitos reservados.
ponto criativo