SELECT depoimentos.*,usuarios.nome as 'autor', usuarios.email as 'email', usuarios.funcao as 'autorfuncao' FROM depoimentos INNER JOIN usuarios ON (depoimentos.idusuario = usuarios.idusuario) WHERE (depoimentos.ativo > 0) AND (DATE(depoimentos.datacadastro) >= '2015-02-01') AND (DATE(depoimentos.datacadastro) <= '2015-02-28') AND (depoimentos.idusuario = 30) ORDER BY depoimentos.datacadastro DESC LIMIT 0,5 Portal Mercado Aberto
Natal Card - Gif Setembro Azul

Tudo sobre economia, finanças, negócios e investimentos

Atual cenário econômico nacional e internacional.

01/02/2015 17h02

 

A queda no preço das commodities e também as expectativas de baixo crescimento e alta inflação para 2015 impactaram negativamente no principal índice da bolsa brasileira, o IBOVESPA.

O novo ministro da fazenda, Joaquim Levy, anunciou uma rodada de ajustes econômicos, que devem continuar ao longo do ano de 2015.

O Banco Central elevou a taxa de juros para 12,25%a.a., e crescem as expectativas de mais altas, principalmente pela possibilidade de a inflação estar nos patamares superiores a 7% a.a.

A confiança do mercado também foi abalada pela crise hídrica no país, que gera rumores sobre a possibilidade de racionamento de energia elétrica.

 

Nos EUA, o índice S&P encerrou o mês em queda também, e os investidores aguardam o FOMC sinalizar novo ajuste na taxa de juros. Esse é o principal fator influenciador do mercado, já que a economia continua apresentando sinais de força. O PIB 4T14 ficou abaixo das expectativas do mercado e espera-se que o 1T15 seja afetado pela situação climática e assim encerre de maneira negativa. A baixa cotação do petróleo influenciou também para baixo a inflação, o que sinaliza que o FED pode manter ainda baixa a taxa de juros.

 

O composto europeu encerrou o mês em alta, impulsionado pelo programa quantitativo de €60 bilhões por mês, que pode atingir valor superior a €1 trilhão, anunciado pelo BCE para combater o baixo crescimento e a queda da inflação na região, potencializada pela queda nas cotações do petróleo.

O euro apresentou desvalorização, motivada pela ação do BCE ter se mostrado mais forte que a expectativa do mercado, e isso fez com que aumentassem as expectativas dos lucros das exportadoras nos próximos trimestres.

 

Na China, a especulação de maior controle governamental sobre operações alavancadas no mercado financeiro gerou realizações no mercado local e levou o composto chinês a encerrar o mês em queda após oito meses de consecutivas altas.

Em 2014 o país apresentou leve alta sobre o crescimento esperado. Fechou o ano com 7,4% de crescimento, frente os 7,3% esperados. O governo deve continuar a promover leves ajustes para estimular a economia, sem grandes efeitos esperados.

 

Adm. Roberto Davi Miranda

Consultor Financeiro

e-mail: robertodavi22@hotmail.com / Twitter: @rdavimiranda

 

Indicadores (pesquisa focus)

 

19/01/15

%

SELIC

12,50

IPCA

6,67

CÂMBIO

2,80

IGP-M

5.62

PIB

0,38

PRODUÇÃO INDUSTRIAL

0,71

RELAÇÃO DÍVIDA/PIB

37,00

 

 

 



Av. Senador Salgado Filho, 2190 - Ed. Portugal Center - 207/209 - Fone: (84) 3206-9578
2010 ® Portal Mercado Aberto. Todos os direitos reservados.
ponto criativo