STTU 06/05/22

Tudo sobre economia, finanças, negócios e investimentos

02/03/2012 15h25

Dia de Campo mostra resultados positivos no uso da ração de caju para caprinos

Suplemento pode servir para que animais ganhem peso mesmo em períodos de seca

notícias relacionadas

O secretário de Estado da Agricultura, da Pecuária e da Pesca - SAPE, Betinho Rosado, visitou nessa quinta-feira (01) o município de Cerro Corá, onde participou de um Dia de Campo. Na ocasião, ele acompanhou de atividades no Povoado Albino, presenciando a conclusão e demonstração da unidade de engorda de carneiro com ração de caju, e na comunidade rural Sítio Novo, onde participou do lançamento de uma mini fábrica de castanha.

A programação também contou com palestra para explicar aos agricultores daquela região sobre os positivos resultados trazidos pela ração do caju. Caprinos ovinos que na estação seca do ano chegam a perder mais de 25 gramas de peso vivo por dia, quando suplementados com ração de caju de boa qualidade podem ganhar acima de 150 gramas de peso vivo/dia, favorecendo e incrementando a sustentabilidade do semiárido.

A Empresa de Agropecuária do Estado (Emparn), em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Agroindústria Tropical e o Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do RN (Emater/RN), iniciaram em 2007 a condução de Unidade Técnicas Demonstrativas de Ração de Caju (UTDRCaju) como suplemento alimentar para cabritos e borregos.

Na composição e balanceamento da ração os ingredientes podem variar em função do custo da aquisição. Geralmente, a formulação exclusiva para ruminantes contém: Resíduo de caju (50%), Torta de Algodão (15-20%), Torta de coco ou resíduo de castanha de caju (14-19%), Milho/sorgo (10%), Farinha de osso calcinha (3%), Ureia pecuária (2%) e Sal de cozinha (1%). Essa formulação apresenta em torno de 22% de proteína bruta, 3.000 kcal/kg de energia bruta, 1,0% de cálcio e 0,7% de fósforo.

Em unidades conduzidas em Boa Vista (Severiano Melo), Melancias (Apodi) e Chafariz (Mossoró), os animais apresentam um ganho médio de peso vivo de 12 a 16 kg em 120 dias, concluindo-se pela viabilidade técnica-econômica do manejo alimentar até um empate de custos e receitas, por possibilitar a venda de animais gordos em períodos secos, de escassez de oferta no mercado. A sustentabilidade do manejo é amplamente favorável para uma relação de preços em que a venda de um kg de carne caprino-ovina equivale à aquisição de 14 kg de ração.

O prefeito do município de Cerro Corá, Raimundo Marcelino, agradeceu ao secretário Betinho Rosado pela presença nas comunidades rurais do Rio Grande do Norte. "Acredito que estamos vivendo algo inédito na história do nosso estado. Ver um secretário de Agricultura tão próximo dos agricultores e das comunidades rurais. Isso mostra o compromisso do Governo da Dra. Rosalba Ciarlini com a agricultura", disse o prefeito.

Participaram também do Dia de Campo em Cerro Corá o secretário adjunto da SAPE, José Simplício; o presidente da Emparn, José Geraldo; lideranças, autoridades políticas e agricultores da região.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca do RN (SAPE)


0 Comentário

Avenida Natal, 6600 - Rodovia Br 101 - Taborda | São José de Mipibú/RN CEP | 59.162-000 | Caixa Postal: 50
2010 ® Portal Mercado Aberto. Todos os direitos reservados.
ponto criativo