Biometria

Tudo sobre economia, finanças, negócios e investimentos

16/10/2018 11h35

Festa do Boi 2018 reúne diferentes serviços para gerar negócios

De barbearia à segurança, o evento atinge diversos públicos e movimenta diversos segmentos.

Esta semana, Parnamirim é a capital nordestina do agronegócio. Sediando a 56ª edição da Festa do Boi, o Parque Aristófanes Fernandes reúne, além dos próprios animais, diversos produtos ligados diretamente ao segmento. Mas os visitantes estão sendo surpreendidos com outros tipos de produtos e serviços, como segurança patrimonial, barbearia e farmácia.

Pioneira, a empresária Caroline Ferreira montou uma farmácia na Festa do Boi, depois de um pedido dos próprios expositores. Depois de cumprir todas as exigências legais, o espaço funciona com plena autorização do Conselho de Farmácia e da Vigilância Sanitária. "Todo mundo que passa entra na farmácia, comemora por ter o espaço. Foi um desafio grande, mas está valendo a pena. Não é só o financeiro que pesa, aproveitamos a oportunidade e estamos agregando à Festa do Boi", comenta Caroline que visa o fortalecimento da marca que começa a crescer na capital.

Outro diferencial é uma barbearia ou, melhor ainda, uma "batalha de barbeiros" que está acontecendo na Festa do Boi. Quatro salões se uniram no espaço e durante os nove dias de feira, irão fazer cortes e barbas. O barbeiro Dani Batista conta que a primeira vez da empresa na Festa do Boi e a receptividade foi positiva.
"Muita gente está vindo aqui dar um jeito no cabelo, fazer a barba. Trouxemos toda a estrutura do salão para cá. E não é só quem trabalha aqui, os visitantes passam e fazem o corte", disse Batista, que garante a presença no próximo ano.

Matheus Thomas, técnico em Edificações, acompanha a mãe que expõe há mais de 30 anos na Festa do Boi, e resolveu dar um jeito no cabelo e na barba. "Eu estava com o tempo livre e fiz logo o que precisava. É bacana eles buscarem novos públicos, inovar é sempre bom", afirmou.

Para a diversão, foi montado um karaokê na Festa do Boi. O autônomo Edmilson Oliveira está expondo pela primeira vez na Festa, uma forma de fazer propaganda do produto. "Eu cheguei há pouco tempo no estado e quero apresentar o meu serviço, e a propaganda é a alma do negocio. Mesmo que eu não tenha um bom retorno financeiro, com certeza eu terei resultados futuros graças a minha exposição aqui".

Foco no Agropecuarista
A Festa do Boi é uma oportunidade para os empresários mostrarem serviços que antes não eram vistos, mas que têm grande importância para o segmento. Rodrigo Hosken, gerente de uma empresa de segurança, contou que não existe público definido para o serviço que presta e os agropecuaristas não se preocupavam com a segurança do seu patrimônio.

"Agora, além das fazendas, os animais chegam a valer milhões de reais. São valiosos, campeões por serem de raça de alto desempenho, dessa forma, são investimentos. É uma demanda reprimida, que o mercado precisa atender", disse. Equipamentos como controle de acesso, câmeras, sensores de presença são alguns dos produtos oferecidos a nova clientela. Hosken completa que cada cliente tem uma necessidade diferente, de acordo com sua produção, e a empresa tem que se adequar a sua realidade.

As consultorias também se adaptaram ao segmento agropecuário. Eduardo Melo, consultor, explicou que é necessária uma gestão de pecuária profissional, com o planejamento da atividade, para tornar rentável e promissora. "Analisamos a realidade da fazenda e qual o projeto que pode ajudar e melhorar a produção, tornando-a viável. Criamos um sistema informatizado para o rebanho, como também de estoque e do financeiro. Notamos hoje um processo de transição da pecuária do passado que hoje precisa ser de eficiência, tornando-a mais profissional", analisou o consultor, que também é Engenheiro Agrônomo.

Com a consultoria, Melo conta que fazendeiros já quadruplicaram sua produção e pensam em outras maneiras de agregar eficiência a outras atividades na fazenda. Para ele, os cases ajudam no convencimento do fazendeiro mais tradicional para aderir ao trabalho, com foco na modernidade. "O fazendeiro tem que olhar para a produtividade e tirar o máximo que puder dos seus produtos. Não precisa ter o melhor maquinário, gastar em tecnologia, tem que saber o que realmente precisa para mudar e melhorar a produção", afirmou.

 

 


0 Comentário

Av. Senador Salgado Filho, 2190 - Ed. Portugal Center - 207/209 - Fone: (84) 3206-9578
2010 ® Portal Mercado Aberto. Todos os direitos reservados.
ponto criativo