Biometria

Tudo sobre economia, finanças, negócios e investimentos

26/03/2018 14h35 - Atualizado em 26/03/2018 14h37

Carnaval Multicultural de Natal movimenta mais de R$ 61 milhões

Os dados foram divulgados nesta segunda-feira, 26, pelo presidente da Fecomércio RN, Marcelo Queiroz, e pelo prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves.

Um público de mais de 573 mil pessoas - informado pela Prefeitura de Natal, e 26,7% maior do que o de 2017 – circulou em Natal durante a edição 2018 do Carnaval Multicultural da capital potiguar. Os foliões fizeram circular na economia potiguar mais de R$ 61,4 milhões, um volume 52,23% maior do que o que havia sido registrado no ano passado. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira, 26, pelo presidente da Fecomércio RN, Marcelo Queiroz, e pelo prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves, em uma entrevista coletiva, realizada na sede da Federação, e que contou com a presença de secretários municipais, diretores do Sistema Fecomércio RN e imprensa.

 

As informações constam na pesquisa que traçou o perfil dos foliões e comerciantes do Carnaval Multicultural de Natal 2018, realizada pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Comércio da Fecomércio RN (IPDC/Fecomércio RN), entre 8 e 14 de fevereiro em todos os seis polos onde houve programação. Ao todo, foram realizadas 702 entrevistas com foliões e outras 301 com comerciantes formais e informais.

 

“O Carnaval é um evento de enorme importância para a economia e para os segmentos de Comércio, Serviços e Turismo. Por isso a Fecomércio tem procurado ser parceira de todas as maneiras possíveis do evento. E os números da pesquisa ratificam o quão acertada é esta nossa postura”, declarou o presidente Marcelo Queiroz.

 

O levantamento revelou ainda que este ano o número de homens e mulheres que frequentaram a festa foi praticamente o mesmo: 50,4% e 49,6%, respectivamente. Em 2017 a diferença era um pouco maior, e os homens eram 58,2% e as mulheres 41,8%. A maioria (55%) das pessoas está na faixa etária entre 25 e 44 anos; possui curso superior ou mais (59,3%); renda familiar de até R$ 7 mil (73,5%); e brincaram com a família (45,4%).

 

Com relação à origem, 78,3% eram nativos e 21,7% estrangeiros. Dos potiguares, 71,2% eram de Natal; 2,8% de Parnamirim; e 4,3% de outras cidades. Dos turistas, 99,1% eram brasileiros e só 0,9% eram estrangeiros. Pernambuco (4,4%) ainda é o estado que mais envia turistas para participar do Carnaval de Natal; seguido de São Paulo (3,1%); e Rio de Janeiro (2,4%). 65,4% das pessoas já tinham ido à festa, e pretendiam frequentar durante 4 dias. As atrações musicais (32,2%); a alegria/animação/folia (18,1%); e as festas gratuitas (16,7%); foram alguns dos atrativos para a festa.

 

O item mais bem avaliado pelos turistas foi a hospitalidade dos natalenses, com nota de 8,92. A exemplo da pesquisa de 2017, com nota de 7,45, a segurança foi o item pior avaliado, e este ano obteve uma nota ainda menor: 7,19. Mas a nota geral do evento foi de 8,65 (contra 8,63 de 2017), e 95,6% dos foliões recomendariam o Carnaval de Natal a outras pessoas (contra 95,3% em 2017).

 

“Mais uma vez a pesquisa mostra o acerto da Prefeitura de Natal em realizar o Carnaval em Natal quando, lá em 2014, resolveu ser audaciosa, ousada e resolveu, apostar na festa. São quase 600 mil pessoas que brincam na paz, na alegria e no trabalho. Isso é muito importante para a gente, porque estamos fazendo tudo isso na crise”, comemorou o prefeito Carlos Eduardo.

 

Perfil dos Comerciantes

A maior parte eram homens (59,1%); com idade entre 25 e 59 anos (81,1%); com ensino médio completo (50,5%); autônomos (37,1%) ou empresários (37,4%); possuíam um negócio informal (48,8%); no segmento de bares e restaurantes (37,2%).

Dos comerciantes entrevistados pelo IPDC, 77,4% consideraram que o impacto do carnaval sobre o seu negócio foi positivo; e 77,1% já atuaram em anos anteriores. Em média, cada negócio empregou quatro pessoas; e necessitou de um investimento médio de R$ 2,9 mil, em estoque (70,8%) e variedade de produtos (32,9%). Com relação às vendas, 26,9% consideram que foi acima do esperado. O faturamento médio diário de cada negócio foi de quase R$ 1.500; e a média de gastos de cada cliente ficou em R$ 46,11.

As íntegras das pesquisas estão disponíveis no site da Fecomércio (fecomerciorn.com.br/pesquisas).


0 Comentário

Av. Senador Salgado Filho, 2190 - Ed. Portugal Center - 207/209 - Fone: (84) 3206-9578
2010 ® Portal Mercado Aberto. Todos os direitos reservados.
ponto criativo