Seturn - 17/01/22

Tudo sobre economia, finanças, negócios e investimentos

08/07/2015 08h43 - Atualizado em 08/07/2015 10h16

Atividade do comércio encerra o primeiro semestre de 2015 com o pior resultado em 13 anos, aponta Serasa Experian

A queda dos níveis de confiança dos consumidores, a alta da inflação, das taxas de juros e, mais recentemente, do desemprego, prejudicaram a atividade varejista

notícias relacionadas

De acordo com o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio, o movimento dos consumidores nas lojas encerrou o primeiro semestre de 2015 com alta de 2,6% frente ao mesmo período do ano passado. Este foi o pior desempenho da atividade varejista do país em 13 anos, ou seja, desde 2003, e o segundo pior de toda a série histórica, perdendo apenas para o tombo de 6,9% observado no primeiro semestre de 2002.

Segundo os economistas da Serasa Experian, a queda dos níveis de confiança dos consumidores, a alta da inflação, das taxas de juros e, mais recentemente, do desemprego, prejudicaram a atividade varejista deste primeiro semestre de 2015, determinando o fraco desempenho observado na movimentação dos consumidores nas lojas de todo o país.

A maior retração do consumidor no primeiro semestre de 2015 deu-se no segmento de veículos, motos e peças, o qual registrou queda de 12,5% frente ao primeiro semestre do ano passado. A segunda maior queda foi de 7,1%, observada no movimento dos consumidores nas lojas de materiais de construção. Também houve recuo de 5,3% no segmento de combustíveis e lubrificantes neste primeiro semestre de 2015.

Já no campo positivo, observamos altas de 5,8% do movimento dos consumidores nas lojas de tecidos, vestuário, calçados e acessórios; de 5,2% nas lojas de móveis, eletroeletrônicos e equipamentos de informática; e de 2,0% nos supermercados, hipermercados, alimentos e bebidas.

 

Fonte: Serasa Experian


0 Comentário

Avenida Natal, 6600 - Rodovia Br 101 - Taborda | São José de Mipibú/RN CEP | 59.162-000 | Caixa Postal: 50
2010 ® Portal Mercado Aberto. Todos os direitos reservados.
ponto criativo